Vai promover uma armazenagem de lubrificantes? Pois então saiba que cuidados tomar;

Diferentemente do que muitos acreditam, a armazenagem de lubrificantes demanda, sim, alguns cuidados especiais principalmente quando seu processo de resguardo se faz comparado aos das substâncias convencionais. Na prática, o primeiro destes cuidados pode ser representado através das características do armazém ou almoxarifado.

Isso porque ela deve ser previamente planejada levando em conta as das seguintes condições:

  • Funcionalidade;
  • Segurança;
  • Amplitude.

Se estas três características não se bastassem por si só, também se faz necessário confirmar a teoria de que este ambiente ainda precisa ser expansivo o suficiente a ponto de permitir não somente o acesso, mas também a realização de manobras e a circulação efetiva de pessoas, máquinas e separação de mercadorias.

Em uma outra abordagem, ressalta-se  armazém de lubrificantes também deve atender as diretrizes técnicas de identificação, contenção de possíveis derrames e espaço para movimentação de máquinas e equipamentos. Já no almoxarifado do cliente a preocupação deve ser com a contaminação, ventilação e manter um piso antiderrapante.

Os óleos lubrificantes que você precisa estocar estão armazenados em tambores?

Se porventura tiver respondido que “sim” para este questionamento, você precisa compreender que os tais tambores devem ser colocados sobre estrados de madeira, fazendo com que os seus contatos diretos com a superfície não se apresentem como possibilidades reais de oxidação da base do tambor.

Como uma alternativa a este processo, também pode-se aproveitar a disponibilidade de pallets ou racks, que por suas vezes conseguem cumprir – e bem – o papel anteriormente exercido pelas ripas de madeira.

Separe os lubrificantes por tipos e ganhe principalmente em organização!

Além da parte técnica que normalmente confere sustentação para os cuidados que devem ser tomados com relação ao armazenamento de lubrificantes, os fatores ligados às suas reais categorizações também precisam ser levados em consideração. Na prática, um dos principais destes fatores pode ser representado pela divisão dos fluidos em diferentes tipos.

Neste contexto, os mais destacados dos modelos destes produtos podem ser exemplificados da seguinte maneira:

  • Óleos para motor;
  • Óleos para transmissão;
  • Óleos hidráulicos.

Em algumas situações, esta divisão também pode se dar através da viscosidade e da consistência inerente ao fluido em questão. De tal forma, a sala de armazenagem ganha em organização e, de quebra, ainda o faz com relação à mais facilitada identificação dos produtos em si.

Você sabia que os lubrificantes devem ser mantidos a mais de um metro de distância de aquecedores ou tubos de aquecimento?

De modo a começarmos a dar números finais para este relevante artigo, não há como deixarmos passar a recomendação técnica que afirma que todo e qualquer lubrificante precisa, por obrigação, ficar a mais de um metro de distância de aquecedores ou tubos de aquecimento. Não bastasse, esta mesma regra vale para as zonas as quais a substância pode vir a sofrer com algum tipo de condensação.

Por último, frisamos que também é necessário verificar, de maneira periódica, a aparência externa dos recipientes que contemplam o lubrificante em seu departamento interior para que a partir daí as questões ligadas às fugas, aos danos e à ferrugem consigam ser mensuradas e/ou reparadas.

WhatsApp WhatsApp